sábado, outubro 21

Salvação - O Amor e a Misericórdia de Deus Lição 4 – CPAD 4º Trimestre - Em Edição

Salvação - O Amor e a Misericórdia de Deus
Lição 4 – CPAD 4º Trimestre
Estudo Pastor Prof. Osvarela
TEXTO ÁUREO
"Vós que, em outro tempo, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia." 1Pe 2.10
 LEITURA BÍBLICA
1 João 4.13-19
13 Nisto conhecemos que estamos nele, e ele em nós, pois que nos deu do seu Espírito.
14 E vimos, e testificamos que o Pai enviou seu Filho para Salvador do mundo.
15 Qualquer que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus está nele, e ele em Deus.
16 E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele.
17 Nisto é perfeito o amor para conosco, para que no dia do juízo tenhamos confiança; porque, qual ele é, somos nós também neste mundo.
18 No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor.
19 Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro.
O Que É Amor
“Amor incondicional significa amor pleno, completo, absoluto, que não impõe condições ou limites para se amar. Quem ama de forma incondicional não espera nada em troca. O amor está em primeiro lugar. O amor incondicional é generoso, altruísta e infinito.”
Para os cristãos, Deus teve um amor incondicional pela humanidade quando entregou Jesus Cristo, o seu único filho, para ser sacrificado. Deus ama de forma incondicional porque ama a todos.
De acordo com a leitura de Paulo transcrita na Bíblia em 1 Coríntios 13:4-7, "o amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta."
Hesede – Checed - חסד
חמלה - chemlah; n. f. misericórdia, piedade, compaixão
רחם - racham; v. amar, amar profundamente, ter misericórdia, ser compassivo, ter afeição terna, ter compaixão. Ter compaixão, ser compassivo; referindo-se a Deus, ao homem.
Βηθεσδα – Bethesda; בית חסדא ; n. pr. Loc. Betesda = “casa de misericórdia” ou “casa da água que flue”.
ελεεω - eleeo; v. ter misericórdia de; ajudar o aflito, levar ajuda ao miserável; experimentar misericórdia. Ελεος - eleos; n. n. misericórdia: bondade e boa vontade ao miserável e ao aflito, associada ao desejo de ajudá-los; de pessoa para pessoa: exercitar a virtude da misericórdia, mostrar-se misericordioso; de Deus para os homens: em geral, providência; a misericórdia e clemência de Deus em prover e oferecer aos homens salvação em Cristo; a misericórdia de Cristo, pela qual, em seu retorno para julgamento, Ele abençoará os verdadeiros cristãos com a vida eterna
ελεημοσυνη - eleemosune; n. f. misericórdia, piedade; esp. como exibido no dar esmola, caridade; o benefício em si mesmo, doação ao pobre, esmola
Amar. αγαπαω, e não φιλεω, é a palavra usada do amor de Deus aos homens, φιλανθροπια é, no entanto, usado uma vez com este sentido, Tt 3.4. αγαπαω é também a palavra ordinariamente usada do amor das pessoas a Deus, mas φιλεω é usada assim uma só vez, 1Co 16.22. αγαπαω é a palavra usada para o amor aos inimigos de alguém.
αγαπαω – agapao; v. com respeito às pessoas; receber com alegria, acolher, gostar muito de, amar ternamente; com respeito às coisas-  estar satisfeito, estar contente sobre ou com as coisas
αγαπη - agape; n. f. amor fraterno, de irmão, afeição, boa vontade, amor, benevolência; banquetes de amor
αγαπτος - agapetos; amado, estimado, querido, favorito, digno ou merecedor de amor
O Amor de Deus pode ser entendido no texto bíblico, supra pelas expressões contidas no próprio Texto:
Nisto conhecemos – O Amor de Deus
E vimos – O Amor de Deus
E testificamos – O Amor de Deus
E nós conhecemos – O Amor de Deus
E cremos – O Amor de Deus
É perfeito – O Amor de Deus
INIGUALÁVEL AMOR
O amor de Deus está em algumas expressões, que revelam o que compartilhamos deste Amor e nos faz Amar, à Deus, e ao próximo.
Na Bíblia o emprego de palavras como "amar", "dar", "obedecer", ou "confiar", nos mostram que, elas significam para nós a mesma coisa e, basicamente, o que significam para Deus, embora seja o seu amor muito maior que o nosso.
Por isso, Deus pode comunicar as Escrituras através de proposições verbalmente racionais. Para que o homem mortal pudesse entende-las como atividades necessárias, ao homem, para entender Amar e o Amor de Deus.
O Amor de Deus não foi apenas de falar, mas foi um amar expresso no verbo “dar”!
                        “...Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele.”
Este é o exemplo que devemos seguir, não amar apenas por palavras, mas amar com exemplo prático. Existe a possibilidade do conhecimento analógico, pois é o fato de o próprio Deus selecionou os componentes usados por Ele em sua comunicação com o ser humano. A estreiteza da sabedoria humana não torna possível, o entendimento da profundidade deste Amor de Deus.
Assim, Deus preparou alguns elementos para o homem obter conhecimento analógico através da Sua Revelação, seja no Seu Filho e através das Escrituras, a Revelação Registrada, Revelação transmitida, que de maneira continuada, nos promove a cada Século, Era, ou Anos a ampliação desta Revelação cognitiva do Amor de Deus, que chamamos de Revelação Progressiva, um desvendamento menor para um mais completo.
Pois, o que Deus disse aos outros no passado, diz-nos agora através das Escrituras. Neste tempo de Plenitude Seu Filho nos revelou O Amor do Pai:
Havendo Deus antigamente falado muitas vezes [verbal ou escritural], e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho” Hebreus 1.1
A dádiva suprema que Deus oferece à raça humana é o Seu Amor na forma humana do Seu Filho Jesus.
Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”
João 3.16
O Amor de Deus é Incondicional, à Humanidade.
“O amor condicional requer algum tipo de troca, é finito. O amor é dado apenas com base em determinadas condições (conscientes ou não) satisfeitas por quem ama.”
A única forma de retribuição, ainda que seja, sem comparação, com o Amor de João 3.16 é, Amar a Deus sobre todas as coisas. De forma total, corpo, alma e espírito humano tem que se devotar a Amar a Deus, em primeiro lugar!
O maior privilégio do ser humano é poder conhecer a Deus, glorificá-lo e desfrutar para sempre de sua presença. Essa comunicação privilegiada reflete o amor e a bondade de Deus que, graciosamente, deu-se a conhecer.” Teologia Sistemática - Horton
Amar! Isso é tão relevante que Jesus resumiu a Lei ao seguinte binário:
Assim podemos entender o mistério da redução realizado por Deus pela Boca de Jesus, sobre este Tema:
 “E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.” Mateus 22:37-40
Nós o amamos, mas jamais poderemos amar igual Ele nos amou. É algo inatingível ao ser humano.
Para entendermos o que é Amor Incondicional, leiamos:
“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá ” 1 Coríntios 13:1-8
É sob esta noção ética do amor que Paulo escreve este Hino do Amor!
Há uma certeza que o Amor de Deus é compartilhado conosco, a nível humano, para que possamos praticá-lo, como Deus praticou para com a Humanidade, e ainda está disponível nesta quadra do Plano Divino de Redenção.
Na oração do apóstolo Paulo a favor dos efésios, ele deseja que eles possam "conhecer o amor de Cristo que excede todo conhecimento, para que vocês sejam cheios de toda a plenitude de Deus." (Efésios 3:19)
Plenitude significa completo, pleno ou cheio. É o estado daquilo que foi feito na totalidade, que atingiu a avaliação ou medida máxima.
Plenitude de Deus
No sentido espiritual e religioso, fala-se em plenitude de Deus, que consiste na aceitação dos preceitos divinos para haver a redenção da alma humana. Através de Jesus Cristo, que possui a plenitude divina, o homem busca, também, atingir o estado de plenitude e contínua Paz. Porque Paz com Deus infere saber que é amado por Deus e que não há restrições D’Ele para conosco, porque, Ele nos amou primeiro:
O Apóstolo do Amor, João entendeu pela convivência com Jesus Cristo, o que significa este Amor.
Na Relação horizontal – Homem e seu Próximo.
Ele nos ensina o que é Amor e como deve ser exercido, as suas definições de exercício. E a causa pela qual devemos nos amar!
“Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor...!” 1 João 4:7,8
Amar antes de tudo é um mandamento, seja Amar a Deus, e ao Próximo.
1 João 4.20 Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?
Revela quem ama a Deus, em verdade: - “Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso...”
Confirma como e porque devemos manter um relacionamento justo e santo com nossos irmãos – “1 João 4.21 E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão.” –
A Relação Vertical – Deus – Homem-
19 Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro.
O que o Amor produz – “No amor não há temor”
Seus efeitos, na vida  - “...o perfeito amor lança fora o temor”
Mostra quem está escondido em Deus – “...quem está em amor está em Deus, e Deus nele.”
Traz Esperança – “... porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor.”
Traz perfeição – “...o que teme não é perfeito em amor”
1 João 4.6 E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele.
17 Nisto é perfeito o amor para conosco, para que no dia do juízo tenhamos confiança; porque, qual ele é, somos nós também neste mundo.
18 No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor.
19 Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro.
20 Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?
21 E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão.
I João continua a nos ensinar a causa fulcral, que nos exige amar a Deus e ao próximo. Pois, se não se cumpre este mandamento não se pode amar.
Então, assim como Paulo, João nos mostra esta regra a ser incorporada na vida de quem quer ser Salvo.
Salvação infere em Amar e vice-versa.
Sendo importante, que O Amor de Deus se mostra eterno, nos amando antes de sermos criados e é fruto da Sua Misericórdia:
Deus sempre quis estar com o homem, como fazia com Adão, no Éden. Com o advento do pecado, já vamos encontrar a face misericordiosa de Deus.
A revelação divina é uma proclamação de vida, mas quando rejeitada, é uma proclamação de morte (Dt 30.15; 2 Co 2.16). Horton, pag.33
Pois, Ele mitigou a pena de Adão, a Morte mediata [Ele criou, o homem, para viver de forma Eterna], e esta misericórdia divina nos livrou da Ira futura, através da misericórdia divina, usando m Plano de Redenção, que teve seu ápice, na Cruz do Calvário.
Tu nos criaste para ti mesmo, e o nosso coração está inquieto até que ache repouso em ti”.
O homem é de Deus, mas para voltar a ter este relacionamento precisa entender o mistério da vinda da Luz ao Mundo:
“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.
E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a    compreenderam.” João 1:1-5
Horton nos informa que, a Revelação de Deus ao homem é um ato discricionário de Deus:
...a revelação que Deus fez de si mesmo visa o benefício do ser humano. Isso não quer dizer, porém, que a revelação divina, por si só, garanta uma resposta positiva a Deus da parte de quem a recebeu. "Precisamente porque a revelação divina visa o benefício do homem, não ousamos obscurecer o seu conteúdo informativo, nem pensar erroneamente que a revelação divina outorga a salvação automática de quem a possua. Ouvir as boas novas reveladas por Deus não nos redime automaticamente".
Graciosamente, Deus revelou-se a si mesmo, bem como os seus caminhos ao ser humano.
Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o revelou.” João 1.18
Sua auto-revelação abrange os séculos; é variada na sua forma, e oferece comunhão privilegiada com o Criador.
Mas, o homem dotado de livre-arítrio deve buscar a Deus ao ouvir a sua voz, hoje revelado pelo Filho, Jesus Cristo, para desfrutar de todos direitos produzido pelo Amor de Deus: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome; Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.” João 1:12-14
EM EDIÇÃO

            

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical