sábado, junho 10

Maria, Mãe de Jesus, Uma Serva Humilde Lição 11 - CPAD

Maria, Mãe de Jesus, Uma Serva Humilde
Lição 11 - CPAD 11 de Junho de 2017 - Trimestre: 2° de 2017
Estudo Pr. Osvarela
Texto Áureo
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
TEXTO ÁUREO
"Disse, então, Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela." Lucas 1.38
Lucas 1.46-49
46 - Disse, então, Maria: A minha alma engrandece ao Senhor,
47 - e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador,
48 - porque atentou na humildade de sua serva; pois eis que, desde agora, todas as gerações me chamarão bem-aventurada.
49 - Porque me fez grandes coisas o Poderoso; e Santo é o seu nome.
Introdução

Quem foi Maria?
Maria ou Miriã foi uma jovem de Nazaré escolhida por Deus para ser a geradora de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Nazaré era uma cidade de uma das cinco (5) Regiões Administrativas da Palestina, à época sob domínio do Império Romano. Pequena e desprezada, ao Norte de Israel.
Miriã significa “exaltada”, como Deus tem Seu Eterno propósito, não foi sem razão que ela recebeu este nome, enquanto ninguém a conhecia, Deus a observava dos Céus e a escolheu para a missão redentiva que evangelizara de Sua Própria boca em Genesis 3.15:
E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.
Maria se torna importante elemento do Plano Redentivo, de tal forma, que Deus determina a um anjo, o Anjo Gabriel, que lhe fosse anunciar o plano divino em sua vida.
“E, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, A uma virgem desposada com um homem, cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres. E, vendo-o ela, turbou-se muito com aquelas palavras, e considerava que saudação seria esta. Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus. E eis que em teu ventre conceberás e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus... E disse Maria ao anjo: Como se fará isto, visto que não conheço homem algum? E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus.” Lucas 1:26-35
Devemos alertar aos estudiosos sobre Maria, a mãe de Jesus que o dogma católico da concepção de Maria sem mácula (imaculada), sem o pecado adâmico, não pode ser confundido com a doutrina bíblica, de Jesus nascer de uma Virgem, a sua mãe Maria que, o concebeu do Espírito Santo.
Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus.”
O dogma católico, fala da concepção, dela, ao nascer, que ela era nascera, sem mácula, de onde derivam as doutrinas católicas mariólatras, e de onde surgem as versões de adoração, ou como eles dizem veneração, como Maria Imaculada.
Enquanto, a concepção virginal de Jesus refere-se ao Seu nascimento, de uma jovem de Nazaré chamada Maria, sua mãe, que o concebeu em estado virginal, sem ter conhecido seu esposo José.
Serva (o) - διακονεω - diakoneo; ser um servo, atendente, doméstico, servir, atender;
A serva que ajuda, ou que auxilia a uma necessidade.
Doula - No idioma grego serva é doúle, que significa escrava, pela força ou por vontade própria, sendo este o caso de Maria.
Serva do latim: conservar, manter.
Maria se dispôs a ser uma serva [dedicada ao próximo (seu filho), mesmo em detrimento dos próprios interesses], desde o encontro inicial com o anjo Gabriel.
Ela entendeu que a sua vida deveria ser disposta totalmente a Deus, em seu Propósito. A partir desta atitude ela não se coloca mais, como dona de suas próprias vontades, mas entregou-se totalmente nas mãos de Deus. Se pensarmos sob este aspecto podemos entender várias passagens bíblicas nas quais Maria se mostra resignada a seu papel secundário – vide Bodas de Caná, ao pé da Cruz...
Ou ao tempo que ela estava ao pé da Cruz sofrendo sob a promessa da sua servidão –
Eis que este é posto para queda e elevação de muitos em Israel, e para sinal que é contraditado (E uma espada traspassará também a tua própria alma); para que se manifestem os pensamentos de muitos corações. Lucas 2:34,35
E ainda no Cenáculo orando pelo derramamento do Espírito Santo, mostrando que crera integralmente naquilo para que fora chamada, dar à luz, ao Salvador, dos pecados do seu povo.
E esta forma de olhar deixa nenhuma opção a idolatria a Maria, pois ela se fez apenas: Serva de Deus – “que Ele cresça e eu diminua -, poderia ser o pensamento de Maria.
δουλος - doulos; escravo, servo, homem de condição servil -  um escravo; metáf., alguém que se rende à vontade de outro; aqueles cujo serviço é aceito por Cristo para estender e avançar a sua causa entre os homens; dedicado ao próximo, mesmo em detrimento dos próprios interesses; servo, atendente
δουλοω - douloo; n. m. fazer um escravo de, reduzir à escravidão; metáf. entregar-me totalmente às necessidades e ao serviço de alguém, torna-me um servo para ele
“Eis aqui a serva do Senhor!”
A posição de Maria é um alento as mulheres quanto a sua posição de suporte aos filhos.
Após ser notificada de ter sido escolhida, como vaso, para servir com seu ventre para o Plano Redentivo, com a encarnação do Verbo, que se despojaria de Sua Glória, para poder vir ao Mundo, e executar a Promessa evangélica de Seu Pai, O Deus Criador.
Maria mostra-se sábia, e inquire o anjo Gabriel, sobre alguns aspectos:
Sua condição de virgindade – aqui um destaque, pois alguns alegam que ela teria 12 (doze) anos) ao ser desposada de José, seu esposo. Entendo, que ela mostra com suas respostas que já tinha um entendimento maduro, de uma moça, jovem, porém cônscia do papel da mulher em relação a maternidade e o que advinha da relação moral e factual entre, esposo e esposa.
E disse Maria ao anjo: Como se fará isto, visto que não conheço homem algum?
Ela demonstra uma forte formação moral.
Ela questiona de maneira corajosa e curiosa, ao Anjo Gabriel.
Ela, sendo uma jovem em situação de risco, aguardou seu esposo a procurar para reatar e assumir a parte final do seu desposamento, com a vida sob o mesmo teto, completando a forma usual do casamento, após o desposamenteo, ou noivado, quando os já haviam assumido perante as suas famílias um compromisso indissolúvel.
“...cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela.”
O mais importante: ela creu na mensagem e se colocou a inteira disposição de Deus, independente das consequências que, ela muito bem sabia, adviriam da gravidez.
Deus convoca Maria e lhe dá informação de como Ele é Deus do impossível.
A sua ida as montanhas em visita a Isabel, só consolidaria o que o anjo lhe dissera:

            “Porque para Deus nada é impossível. Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela. E, naqueles dias, levantando-se Maria, foi apressada às montanhas, a uma cidade de Judá, E entrou em casa de Zacarias, e saudou a Isabel. E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo.”
Num tempo, no qual, as distancias eram difíceis de serem vencidas, e as notícias não corriam na velocidade atual, Deus a avisa de um fato que lhe seria útil no fortalecimento de seu espírito e entendimento de que era uma convocação para servi-lo, em seu Projeto redentivo.
A sua ida a casa de Isabel serviu-lhe para que Deus torna-se a falar a jovem Maria, a grandeza de sua cooperação.
Ser serva lhe deu inspiração para um dos mais belos cânticos bíblicos, como Ana ela cantou por ter gerado um filho.
Manifestações de alegria do Espírito Santo a sua Serva.
Dois cânticos e uma visita – Um cântico de um nascimento.
Lucas O Evangelista musical
 “Bem-aventurada a que creu, pois hão de cumprir-se as coisas que da parte do Senhor lhe foram ditas”
O Magnificat é entoado, após sua visita a sua prima Isabel, na qual ela teve a confirmação da sua escolha, em ser serva de Deus em tão magnifica obra.
Lucas descreve em um só capítulo, dois dos maiores Cânticos bíblicos não só Neotestamentário, mas em todas as Escrituras, além do Cântico de Isabel.
Além disto, Lucas vai registrar o Cântico angelical e o cântico da recepção de Jesus no Templo, em sua apresentação à Deus.
“Gloria in excelsis Deo”: O Cântico dos Anjos Lucas 2.13-15
“Nunc Dimits”: O Cântico de Simeão Lucas 2.29-32
Antecedendo o solo de Zacarias, Isabel cantou sobre o estado de bem-aventurança daqueles que se submetem ao plano de Deus, levando o Senhor Jesus Cristo em suas vidas, e Maria magnificou, com conteúdo bíblico e coração alegre, ao Senhor de toda a graça.
“Beatitude” – O Cântico de Isabel - Lucas 1.39-45
“Magnificat” – O Cântico de Maria - Lucas 1.46-55
O “Benedictus” – O Cântico de Zacarias - Lucas 1.67-79
O fato de ser uma visita selada com a presença do Espírito Santo, algo notável, após tanto tempo da falta de manifestação divina. A visita resultou em uma continuidade da visitação divina a Maria.
Destaque:
Os nomes dos cânticos foram retirados da primeira palavra ou das primeiras palavras do cântico correspondente na tradução da Vulgata Latina.
Isabel diz: “Beatitude”: Bem-aventurada, bendita, feliz.
Maria diz: “Magnificat”: Magnifica, engrandece, exalta.
Zacarias diz: “Benedictus”: Bendito, louvado.
Anjos dizem: “Gloria in excelsis Deo”: Glória a Deus nas alturas.
Simeão diz: “Nunc Dimits”: Agora despeça [em paz o teu servo].
Maria a doula de Isabel:
A palavra grega doula vem sendo utilizada a partir das pesquisas de Marshall H. Klaus e John H. Kennel no início da década de 90 para designar aquelas mulheres capacitadas para brindar apoio continuado a outras mulheres, (e aos seus companheiros e/ou outros familiares) proporcionando conforto físico, apoio emocional e suporte cognitivo antes, durante e após o nascimento de seus filhos. Sua função é de dar apoio físico e emocional na hora do nascimento.
A Igreja tem sido doula da Palavra servindo de apoio ao nascimento [na verdade renascimento] de muitos filhos [de Deus] de muitos ao redor do Mundo. A Igreja, Serva da Bíblia Lição 12 da revista da Escola dominical; Portal I.E.A.D.D
“E disse Maria ao anjo: Como se fará isto, visto que não conheço homem algum? E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus. E eis que também Isabel, tua prima, concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril; Porque para Deus nada é impossível. Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela. E, naqueles dias, levantando-se Maria, foi apressada às montanhas, a uma cidade de Judá, E entrou em casa de Zacarias, e saudou a Isabel. E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo. E exclamou com grande voz, e disse: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito o fruto do teu ventre. E de onde me provém isto a mim, que venha visitar-me a mãe do meu Senhor? Pois eis que, ao chegar aos meus ouvidos a voz da tua saudação, a criancinha saltou de alegria no meu ventre. Bem-aventurada a que creu, pois hão de cumprir-se as coisas que da parte do Senhor lhe foram ditas.
Magnificat (início)
Disse então Maria:
A minha alma engrandece ao Senhor,
E o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador;” Lucas 1:34-47
Isabel era mais velha, mas agora sua atenção estava na vida da sua jovem, prima Maria. Isabel tinha sido estéril a vida toda, mas agora sua alegria é espiritual e ela entendeu que sua salvação estava na gravidez de Maria, ainda tão jovem. Isabel tinha sentido seu filho saltar no ventre, mas a sua importância estava no fruto do ventre de Maria.
Discernindo a Posição de Maria No Plano de Deus.
Teotokos – é a versão do Catecismo católico para Maria a mãe terrena de Jesus Filho de Deus.
Mateus 1.16 “E Jacó gerou a José, marido de Maria, da qual nasceu JESUS, que se chama o Cristo.”
Alguém escreveu e eu entendo da mesma forma: “Na Igreja Católica, Maria, a mãe de Jesus, é talvez mais reverenciada que todos os cristãos primitivos”.
Maria, após o evento da morte e ressurreição de Jesus, aparece no Cenáculo junto com os discípulos, mas a sua presença desbota ao longo do livro de Atos dos Apóstolos, como serva ela se mantém opaca, na vida da Igreja.
Os discípulos de Jesus, não falam de sua pessoa ou vão consulta-la, sobre ações do corpo apostólico. O que demonstra que a sua presença que aparece por muitas vezes, durante o Ministério de seu filho Jesus, na Palestina, embora fosse mãe do Mestre, e conhecida pelos Apóstolos [desceu a Cafarnaum, ele, e sua mãe, e seus irmãos, e seus discípulos], ela não tinha influencia no grupo apostólico.
As Escrituras do NT exceção de Lucas, em Atos dos Apóstolos não a citam, nem como referência, ou usam, seu nome, para doutrinar virtudes das mulheres. Alguns poderão creditar esta falta de citação pelos Apóstolos, a cultura da época, na qual a mulher não era importante, mas outras mulheres são citadas diversas vezes, nas Epístolas e assunto sobre as mulheres são relatados. Em Atos, Escritura lucana, Dorcas tem sua vida dada, como exemplo de dedicação a Igreja,
Senão, vejamos a citação, mais inicial de sua presença no período de início da Igreja, após a ascensão de Jesus O Cristo, como o chama Mateus em sua genealogia:
“E, entrando, subiram ao cenáculo, onde habitavam Pedro e Tiago, João e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zelote, e Judas, irmào de Tiago. Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria mãe de Jesus, e com seus irmãos.” Atos 1:13,14
Dogma Da Concepção Imaculada, Estabelecido Pelo Papa Pio IX, Em 1854
A ICAR, por ter a figura Papal como aquele que é infalível em suas palavras, mantém um dogma pelo qual, considera que Maria continuou virgem, mesmo após conceber Jesus, seu primogênito, não só os Evangelhos nos dão base total para desmentir este “dogma” católico como muitos especialistas também se recusam a acreditar no dogma da concepção imaculada, estabelecido pelo papa Pio IX, em 1854, segundo o qual Nossa Senhora não só se manteve pura como foi concebida assim, tendo ficado livre do pecado original.
Veja a lista de menções a Maria, nas Escrituras Neotestamentárias:
Maria e a Bíblia
Maria, a mãe de Jesus, aparece várias vezes nas Escrituras. Segue uma lista de ocasiões quando Maria é mencionada:
Sua apresentação em Mateus, até a ida da família ao Egito:
Ela é alistada na genealogia de Jesus (Mateus 1:16).
É visitada pelo anjo Gabriel, que anuncia que ela conceberá pelo Espírito Santo e dará à luz um filho (Lucas 1:26-28).
Visita sua parenta, Isabel, que está grávida de João Batista (Lucas 1:39-56).
José descobre que ela está grávida e decide divorciar-se em segredo até que Deus fala-lhe em sonho e o convence a se casar com ela (Mateus 1:18-25).
Ela permanece virgem até que Jesus nasce (Mateus 1:25).
Dá à luz a Jesus (Lucas 2:1-20).
Ela e José apresentam Jesus no templo (Lucas 2:21-38).
Ela está presente quando os Magos visitam Jesus (Mateus 2:11).
É mencionada no sonho que José teve, instruindo-o a levar o menino e sua mãe para o Egito, para escapar de Herodes (Mateus 2:13).
É mencionada no sonho de José, instruindo-o a levar o menino e sua mãe de volta para Israel (Mateus 2:20).
Da Volta do Egito, até a adolescência de Jesus, em Nazaré: 
Ela se estabelece com a família em Nazaré, onde Jesus cresce (Lucas 2:39-40).
Viaja para Jerusalém, para a Páscoa, onde o menino Jesus separa-se dos seus pais e é encontrado ensinando no templo (Lucas 2:41-50).
A família retorna a Nazaré depois da Páscoa e Jesus continua a amadurecer (Lucas 2:41-50).
B – Jesus, aos doze (12) anos, era sujeito a sua mãe: “Ora, todos os anos iam seus pais a Jerusalém à festa da páscoa; E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa...E desceu com eles, e foi para Nazaré, e era-lhes sujeito. E sua mãe guardava no seu coração todas estas coisas.” Lucas 2: 41,42-51
Do Início do Ministério de Jesus, e durante o Ministério de Jesus
A apresentação dos seus demais filhos, em citações.
Preocupações com Jesus: Quanto a divindade de seu filho, e sua exposição e descrédito junto aos judeus devido ser Jesus seu filho, o que expõe a sua condição de pouco importante.
Ela e Jesus assistem a uma boda em Caná da Galiléia e, quando Maria pede a Jesus para fazer alguma coisa quando o vinho se acaba, ele realiza seu primeiro milagre registrado na Bíblia - João 2:3-5.
A – Fora de sua cidade ela esteve em Cafarnaum junto com seus demais filhos [Tiago - “E não vi a nenhum outro dos apóstolos, senão a Tiago, irmão do Senhor.” Gálatas 1:19 -, José, Simão e Judas] e Jesus.
“Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele. Depois disto desceu a Cafarnaum, ele, e sua mãe, e seus irmãos, e seus discípulos; e ficaram ali não muitos dias. E estava próxima a páscoa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém.” João 2:11-13
            Entre as quais estavam Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago e de José, e a mãe dos filhos de Zebedeu. Mateus 27:56
Ela sai de Caná com Jesus e seus irmãos e todos passam uns poucos dias em Cafarnaum (João 2:12).
Enquanto Jesus está pregando, Maria e seus filhos estão preocupados com ele, e vêm falar com ele. Neste ponto, Jesus diz aos seus ouvintes que sua mãe e seus irmãos são aqueles que obedecem a Palavra de seu Pai (Mateus 12:46-50; Marcos 3:21, 31-35; Lucas 8:19-21).
Ela é mencionada quando os judeus se recusam a crer que Jesus seja o Messias porque eles conhecem sua mãe e seu pai (Mateus 13:54-57; Marcos 6:3; João 6:42).
Alguém, durante o Ministério de Jesus, tentou incentivar certo tipo de alusão a sua condição de mãe de Jesus.
É referida quando uma mulher da multidão diz a Jesus: 'Feliz o ventre que te carregou, e os seios que te amamentaram'.
Jesus respondeu: 'Mais felizes são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática' (Lucas 11:27-28).
Sua presença no suplício redentivo de seu filho na Cruz
Jesus a recomenda, como filho primogênito a um dos Apóstolos. 
Está ao pé da cruz, quando Jesus diz ao apóstolo João que se responsabilize pelo cuidado dela João 19:25-27.
Depois que Jesus ascendeu ao céu, ela e outros irmãos de Jesus estão com os apóstolos e outros discípulos, no Cenáculo, em oração - Atos 1:14.
“E, entrando, subiram ao cenáculo, onde habitavam Pedro e Tiago, João e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zelote, e Judas, irmão de Tiago. Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria mãe de Jesus, e com seus irmãos.”
Atos 1:13,14
Tipos de Maria no NT
“E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça. E estava grávida, e com dores de parto, e gritava com ânsias de dar à luz. E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas. E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho. E deu à luz um filho homem que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono. E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias.” Apocalipse 12:1-6
Estas ocasiões são as únicas vezes que Maria é especialmente mencionada ou referida nas Escrituras. Alguns estudiosos, contudo, acreditam que Maria seja a mulher referida no Apocalipse, capítulo 12, mas por causa da linguagem figurativa isto é difícil de se discernir com certeza.
Do Início ao Fim – Mãe e Serva!
Maria foi serva e não Salvadora.
Mãe do Filho de Deus gerado e encarnado em seu ventre, mas não mãe de Deus.
Ela mesma se colocou como Serva!
Deus não se esqueceu da sua serva e ao pé da cruz Jesus concede suporte a vida de Maria, através de um de seus discípulos.
Eis que este é posto para queda e elevação de muitos em Israel, e para sinal que é contraditado (E uma espada traspassará também a tua própria alma); para que se manifestem os pensamentos de muitos corações. Lucas 2:34,35
Ao pé da cruz, dois fatos com Maria chama a atenção para seu serviço e disponibilidade com Deus. Ela foi até ao fim, com seu Filho e Ele não a deixou solitária. Alguns apresentam argumentação diferenciada, que não comentaremos, aqui. Mas, entendo que assim como Matias foi substituto entre os Apóstolos, Jesus queria que sua mãe não tivesse falta de um filho e Jesus conhecendo o coração de João sabia que poderia ser um filho do coração de Maria e cuidar de sua mãe, assim Jesus diz ao apóstolo João que se responsabilize pelo cuidado dela.
“E junto à cruz de Jesus estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria mulher de Clopas, e Maria Madalena. Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa. Depois, sabendo Jesus que já todas as coisas estavam terminadas, para que a Escritura se cumprisse, disse: Tenho sede.” João 19: 25-28
É neste pensamento que poderemos entender como Maria cumpriu até ao fim seu propósito em Ser Serva.

Em Edição
Bibliografia:
O Papel da Virgem Maria; Maria e a Igreja Católica; Estudos Bíblicos; Karl Hennecke, USA
IBEC – Campinas
Dicionário Strong
Apontamentos do autor
Cristologia do Novo Testamento – Oscar Cullmann

Panorama do Novo Testamento – Robert  Gundry

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical