sexta-feira, outubro 21

A Provisão de Deus no Monte do Sacrifício Lição 4 - Trimestre: 4° de 2016 – CPAD

A Provisão de Deus no Monte do Sacrifício
Lição 4 - Trimestre: 4° de 2016 – CPAD
Estudo Pr. Osvarela
TEXTO ÁUREO
“E disse Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. Assim caminharam ambos juntos. ” Gênesis 22.8
Texto Leitura Bíblica
E aconteceu depois destas coisas, que provou Deus a Abraão, e disse-lhe: Abraão! E ele disse: Eis-me aqui.
E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi.
Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque seu filho; e cortou lenha para o holocausto, e levantou-se, e foi ao lugar que Deus lhe dissera. Gênesis 22:1-3
ETIMOLOGIA
מוריה - Mowriyah ou מריה - Moriyah; n. pr. loc. Moriá = “escolhido por Javé”
דבח- d ^ebach (aramaico); n. m. sacrifício
זבח-zabach; v. abater, matar, sacrificar, imolar para sacrifício; (Qal) -  imolar para sacrifício; abater em julgamento divino; (Piel) sacrificar, oferecer sacrifício.
זבח-zebach; n. m. sacrifício; sacrifícios de justiça; sacrifícios de contenda; sacrifícios para coisas mortas; o sacrifício da aliança; a páscoa; o sacrifício anual; oferta de gratidão.
מנחה-minchah; n. f. presente, tributo, oferta, dádiva, oblação, sacrifício, oferta de carne; presente, dádiva; tributo; oferta (para Deus); oferta de cereais.
איל-  ’ayil; n. m.carneiro (como sacrifício)
Moriá - YAWEH JIRÉ. O lugar para sacrifício de seu filho, foi um Monte de sacrifício para o serviço sacrificial, que lhe fora solicitado.
יהוה ירה - Y ^ehovah yireh
Nome simbólico dado por Abraão ao Monte Moriá, em comemoração à intervenção do anjo de Javé que impediu o sacrifício de Isaque e providenciou um substituto
“E aconteceu depois destas coisas, que provou Deus a Abraão, e disse-lhe: Abraão! ...Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi. Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, ... tomou consigo ... Isaque seu filho; e cortou lenha para o holocausto, e levantou-se, e foi ao lugar que Deus lhe dissera.
βωμος- bomos; n. m. um lugar elevado; com freqüência, lugar elevado onde se oferece sacrifício, altar.
αμωμος- amomos; adj. sem defeito; como um sacrifício sem mancha ou defeito; moralmente: sem defeito, perfeito, irrepreensível.
δωρον- doron; n. n. dom, presente; presentes oferecidos em expressão de honra; de sacrifícios e outros presentes oferecidos a Deus.
Sacrifício agradável a Deus:
ευωδια- euodia; n. f. aroma doce, fragrância; algum cheiro doce ou fragrância, incenso, sobre odor ou algo que cheira doce; odor de aquiescência, satisfação; odor doce. Refere-se ao aroma dos sacrifícios e obrigações, de acordo com a noção antiga de que Deus tem olfato e se agrada com o odor de sacrifícios; metáf. algo muito agradável a Deus.
θυσια- thusia; n. f. sacrifício, vítima
θυσιαστηριον- thusiasterion; n. n. altar para matar e queimar as vítimas usadas no sacrifício; o altar de todas as oferendas queimadas que encontrava-se na corte dos sacerdotes notemplo em Jerusalém; o altar de incenso que encontra-se no santuário ou no Santo Lugar; algum outro altar; metáf., a cruz na qual Cristo sofreu uma morte expiatória: comer deste altar, i.e.,apropriar-se dos frutos da morte expiatória de Cristo.
במה-bamah; n. f. lugar alto, colina, elevação, alto (nome técnico para um local cúltica); lugar alto, montanha; lugares altos, campos de batalha; lugares altos (como lugares de adoração).
Ramote= “altos”
בעליבמות- Ba `aleyBamowth; n. m. Baale-Bamote = “senhores dos lugares altos
Vide explicação sobre Lugares altos, no corpo deste Estudo
Texto Apoio
“E chamou Abraão o nome daquele lugar: o Senhor proverá; donde se diz até ao dia de hoje: No monte do Senhor se proverá.” Gênesis 22:14
Os montes sempre foram lugar de encontro com a divindade, os chamados altos.
Foi no alto do Sinai que Deus legou a Lei a seu Povo e de lá chamou Moisés para propor uma Aliança inquebrantável.
Para tal Moises passou 40 dias no Monte buscando ouvir e receber a provisão moral, legal e espiritual para o Povo.
Indo ao Encontro de Deus no Monte
E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi.
Que Monte seria este?
Monte Moriá
Moriá é sinônimo de sacrifício e abnegação. Nesse monte, o patriarca Abraão passou a maior prova de sua carreira espiritual.
Obs.: “Akeida - a história do sacrifício de Isaac.”
Localizado a leste de Sião, e Monte Moriá tem uma altitude média de 800 metros ao nível do Mediterrâneo. De forma alongada, sua parte mais baixa era conhecida como Ofel. Mil anos após a era patriarcal, Salomão construiu o Templo nessa elevação. Um local isolado e adequado para a realização do sacrifício. Salém, o povoado que mais tarde deu origem à capital do Reino de Israel, Jerusalém, deveria situar-se a alguma distância daquele local.
Em Moriá estão as montanhas de Israel:
Moriá
Sião
Oliveiras
Calvário
O Templo foi destruído por Nabucodonozor, em 587 a.C. Reconstruído no tempo de Esdras e Neemias, foi novamente destruído pelo general Tito, no ano 70 de nossa era.
Monte do Sacrifício do Pai Abraão.
O que significa Moriá?
E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi.
Para entender a passagem, sob o contexto da época é necessário saber que, no tempo de Abraão, Moriá designava uma região e não apenas Um Monte.
Os sábios de Israel perguntaram: - 'Por que este monte se chama Moriá?' –
Vem da palavra 'Mora', que, em hebraico, significa temor. Desta montanha o temor de Deus percorreu a terra toda. Outra versão diz que vem de 'ora', que quer dizer luz, pois quando o Todo-poderoso ordenou: 'Haja luz', foi do Moriá que pela primeira vez brilhou a luz sobre a humanidade." Zev Vilnay, apud pastor e escritor e professor de Geografia Bíblica Enéas Tognini.
Situado na atual região da Cidade Velha, em Jerusalém, Israel, onde nele o patriarca Abraão subiu para sacrificar seu filho Isaque, segundo mandamento de Deus.
Também foi nele que Davi viu o anjo que destruiria Jerusalém, ainda segundo ordem de Deus, insatisfeito com seu povo - 2 Samuel 24.
Ali era a “eira de Araúna”, o jebuseu, os antigos moradores da região, onde se viu o anjo do senhor, incumbido da peste entre o povo. E só ali após a peste parar, o lugar deu vazão a sua chamada divina, Monte de Sacrifício e de mitigação e de prova com seu povo.
“Estendendo, pois, o anjo a sua mão sobre Jerusalém, para a destruir, o Senhor ...e disse ao anjo que fazia a destruição entre o povo: Basta, agora retira a tua mão. E o anjo do Senhor estava junto à eira de Araúna, o jebuseu...E Gade veio a Davi, e disse-lhe: Sobe, levanta ao Senhor um altar na eira de Araúna, o jebuseu. Davi subiu conforme à palavra de Gade, como o Senhor lhe tinha ordenado...disse Araúna: Por que vem o rei meu Senhor ao seu servo? E disse Davi: Para comprar de ti esta eira, a fim de edificar nela um altar ao Senhor, para que este castigo cesse de sobre o povo.... o rei disse a Araúna: Não, mas por preço justo to comprarei, porque não oferecerei ao Senhor meu Deus holocaustos que não me custem nada...edificou ali Davi ao Senhor um altar, e ofereceu holocaustos, e ofertas pacíficas. Assim o Senhor se aplacou para com a terra e cessou aquele castigo de sobre Israel.” 2 Samuel 24:16-25
Mais tarde Davi, incumbiu seu filho Salomão de erguer no local o famoso templo que substituiria o Tabernáculo, obra das mais arrojadas do planeta na época.
Hoje o Monte Moriá é próximo à Cidade Velha de Jerusalém, fazendo divisa a oeste com o Muro das Lamentações, o lugar mais sagrado do mundo para os judeus por ser o que restou do Segundo Templo.
Mantenha sua segurança e confiança no deus de Moriá, o Deus de Abraão, o Pai dos que tem Fé, e não procure Deus em outros Montes, Ele está entronizado entre ao Altos Céus e sobre os Montes de sua Justiça.
É uma das lições deste estudo. Há um lugar determinado para você ir ao encontro com deus, um lugar de sacrifício substitutivo, executado na Cruz do calvário, lugar de sofrimento do Isaque de Deus – Jesus O cristo, O salvador do Mundo, que substituiu a mim e a ti num alto do Monte chamado caveira na mesma região do sacrifício abortado, pelo anjo, junto ao pai Abraão!
Não há como deixar de mencionar a região, a seguir, uma é intrínseca a outra;
Monte Sião
Sião ou Tzion (em hebraico ציון Tzion ou Tsion "cume", em árabe صهيون uhyūn)
Localizado na parte Leste de Jerusalém, o monte Sião ergue-se ali soberano e altivo. Com aproximadamente 800 metros de altitude, ao nível do Mediterrâneo, é a mais alta montanha da cidade Santa. Designa-o desta forma o profeta Joel:
"E vós sabereis que eu sou o Senhor vosso Deus, que habito em Sião, o monte da minha santidade; e Jerusalém será santidade; estranhos não passarão mais por ela" Joel 3.17
Contemporaneidade histórica:
Nos anos antes da Guerra Mundial, foi criado um movimento, visando à criação do Estado de Israel, cujo nome é identificado pelo Sionismo. Essa designação reflete bem o amor dos judeus por sua terra, nesta fase de retorno dos israelitas a sua terra, surgiu o chamado Sionismo, que na realidade já era latente na Diáspora babilônica, quando os judeus ansiavam, choravam e lamentavam em canções, que não podiam cantar, junto aos rios da Babilônia, pela Sião, pelo Monte de Deus.
 “Junto aos rios da Babilônia, ali nos assentamos e choramos, quando nos lembramos de Sião. Sobre os salgueiros que há no meio dela, penduramos as nossas harpas. Pois lá aqueles que nos levaram cativos nos pediam uma canção; e os que nos destruíram, que os alegrássemos, dizendo: Cantai-nos uma das canções de Sião. Como cantaremos a canção do Senhor em terra estranha? Se eu me esquecer de ti, ó Jerusalém, esqueça-se a minha direita da sua destreza.” Salmos 137:1-5
Nos Tempos da Igreja:
“Mas a Jerusalém que é de cima é livre; a qual é mãe de todos nós.” Gálatas 4:26
“Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monteMateus 17:1
Lugar de nos encontrarmos com Jesus para orar e ter particularidade com Ele. Sem nenhuma necessidade, em nossos dias, de ser exatamente um Monte físico.
É o lugar do sacrifício requerido, por Deus, com o melhor que temos, para sermos provido de Fé e de toda e qualquer necessidade.
A Lição de Isaque indo ao Moriá
Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. Assim caminharam ambos juntos
Obediência é subir ao Monte e lá encontrar a provisão, pelo novo e vivo Caminho!
A história deste sacrifício, requerido, mas não executado por intervenção divina contém uma série de lições e simbolismos.
Um filho a ser sacrificado, num lugar conhecido pelos povos, por meio dos quais Abraão peregrinava, povos que eram conhecidos por utilizar estes lugares para seus cultos homicidas é o destino de Abraão e seu filho.
Aponta para uma possessão divina sobre estes lugares.
Aponta para o domínio de Deus sobre toda a Terra.
Aponta para um novo tipo de sacrifício, com uma nova forma, a vicária do homem pelo animal no altar sacrificial.
Aponta para que possamos atentar ao pedido de Deus para recebermos o melhor D’Ele, para nós:
"o que Deus diz a Abraham depois está tudo acabado ... ele diz: "Porque você me obedeceu e não negaste o teu filho, vou multiplicar seus descendentes." Rabino Leyb Yanover
Receba o melhor de Deus e multiplicação de tua descendência no Monte do Sacrifício. Porém, isto não pode ser explorado de forma litúrgica ou “religiosa” para conduzir a igreja a ofertas meramente de troca com Deus, ou para tirar o “pelo da ovelha”!
Sacrificar o que é dos outros é fácil, o segredo é sacrificar o que é nosso, ou o nosso melhor!
O Ato do Monte do sacrifício sugere que há uma diferença entre sacrificar algo de si mesmo e sacrificar algo dos outros.
Aponta para um lugar novo determinado para Deus para ser Terra Santa pela sua presença.
“E, completados quarenta anos, apareceu-lhe o anjo do Senhor no deserto do monte Sinai, numa chama de fogo no meio de uma sarça. Então Moisés, quando viu isto, se maravilhou da visão; e, aproximando-se para observar, foi-lhe dirigida a voz do Senhor, Dizendo: Eu sou o Deus de teus pais, o Deus de Abraão, e o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó. E Moisés, todo trêmulo, não ousava olhar. E disse-lhe o Senhor: Tira as alparcas dos teus pés, porque o lugar em que estás é terra santa.” Atos 7:30-33
Foi no Monte que a Esperança de Abraão se tornou certeza num momento sacrificial incomum, para qualquer homem, que levasse seu filho para um sacrifício.
Embora, algumas religiões da época sacrificassem seus filhos a seus deuses, jamais eles tiveram a certeza de Abraão no momento do sacrifício no Monte do Sacrifício, que Deus restauraria seu filho Isaque, mesmo depois de morto, até porque aqueles que praticavam oferenda de filhos a seus deuses, sabiam eu os deuses requeriam a vida.
Números 33.52lançareis fora todos os habitantes da terra de diante de vós, e destruireis todas as suas pedras em que há figuras; também destruireis todas as suas imagens de fundição, e desfareis todos os seus altos.”
Mas, no Monte do Sacrifício, Abraão e YHWH surpreenderam ao mundo espiritual com um sacrifício vicário, substitutivo mandado por Deus como provisão tipológica do Cristo, antes da Lei, mas por Graça.
Pois, no tempo de Abraão eles estavam entre os Cananeus na região de Betel – Gênesis 13:7, estavam localizados na região montanhosa de Judá e Efraim.
Levítico 26:30 “E destruirei os vossos altos, e desfarei as vossas imagens, e lançarei os vossos cadáveres sobre os cadáveres dos vossos deuses; a minha alma se enfadará de vós.”
Isaías 16:12 “E será que, quando virem Moabe cansado nos altos, então entrará no seu santuário a orar, porém não prevalecerá.”
“Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monte, E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz.” Mateus 17:1,2
Local onde Deus determina nossa vitória contra os que guerreiam contra nós.
É no Monte que Ele se apresenta e temos a visão de sua Glória, como aconteceu com os discípulos e foi no monte que ele orou para escolher os Apóstolos, do meio da multidão dos discípulos escolheu, apenas, 12!
“E aconteceu que naqueles dias subiu ao monte a orar, e passou a noite em oração a Deus. E, quando já era dia, chamou a si os seus discípulos, e escolheu doze deles, a quem também deu o nome de apóstolos...” Lucas 6:12,13
Fereseus ou Perizeus (em hebraico: והפרזי)
Havia uma crença que estes deuses eram os “senhores dos lugares altos”, mas o Deus de Abraão provou com esta ação, quem era o Deus dos altos Montes e de além dos picos dos montes.
Levantarei os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro. O meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra.” Salmos 121:1,2
Entendo que na realidade Deus queria mostrar a Abraão, que obedecera a ordem para peregrinar dirigido pela Voz de Deus, que Ele era o Senhor de qualquer ponto da terra, e nenhum deus poderia afrontar ou atrapalhar a caminhada de Abraão.
Da mesma forma, o conhecimento de Abraão sobre estes lugares – Os Altos – era ligado a sacrifício de filhos, e agora ele fora encaminhado, mas sempre em obediência, a realizar algo idêntico aos que assim faziam oferendas a seus deuses.
O que implica, dizer, que Abraão estava sendo pedagogicamente ensinado numa Doutrina teológica, sobre quem é o Deus verdadeiro. E que ele não requeria a morte de vidas humanas para ser adorado, e tinha provisão até para um sacrifício.
E se manifesta em qualquer lugar ou situação e não havia que temer os deuses estranhos e seus adoradores.
Altos – Lugares de adoração muitas vezes associados a práticas religiosas pagãs, à imoralidade e a sacrifício humano. Objetos religiosos eram postos sobre os montes para agradar aos deuses pagãos.
Quem a Bíblia cita e o que ela diz sobre Os Altos?
Lugares altos eram locais de adoração em porções elevadas de terra.
Os lugares altos foram originalmente dedicados à adoração de ídolos, especialmente entre os moabitas.
Porém, nem todos os lugares altos foram dedicados à adoração de ídolos.
“E passou Abrão por aquela terra até ao lugar de Siquém, até ao carvalho de Moré; e estavam então os cananeus na terra. E apareceu o Senhor a Abrão, e disse: À tua descendência darei esta terra. E edificou ali um altar ao Senhor, que lhe aparecera. E moveu-se dali para a montanha do lado oriental de Betel, e armou a sua tenda, tendo Betel ao ocidente, e Ai ao oriente; e edificou ali um altar ao Senhor, e invocou o nome do Senhor.” Gênesis 12:6-8
Eles desempenharam um papel importante na adoração israelita, e a primeira menção bíblica de um local de culto, mais tarde chamado de "lugar alto"como no texto, acima, Abrão edificou altares ao Senhor em Siquém e Hebrom.
Historicamente, estes santuários muitas vezes incluíam um altar e um objeto sagrado, como um pilar de pedra ou pedaço de madeira, que se identificava, através do seu formato, com o objeto de adoração (animais, constelações, deusas e deuses da fertilidade), mas os patriarcas também erigiram ou colocaram colunas, uma pedra, como marca da presença do Deus único YHWH de Abraão, quando lhes fora favorável e lhes dera porção necessária num sinal que ali era um local de provisão, um local de sacrifícios ao Deus altíssimo.
“Então levantou-se Jacó pela manhã de madrugada, e tomou a pedra que tinha posto por seu travesseiro, e a pôs por coluna, e derramou azeite em cima dela. E chamou o nome daquele lugar Betel; o nome porém daquela cidade antes era Luz. E Jacó fez um voto, dizendo: [Nota nossa: PROVISÃO] Se Deus for comigo, e me guardar nesta viagem que faço, e me der pão para comer, e vestes para vestir; E eu em paz tornar à casa de meu pai, o Senhor me será por Deus; E esta pedra que tenho posto por coluna será casa de Deus; e de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo.” Gênesis 28:18-22
Muitas vezes, não queremos sacrifícios para nossa caminhada, não queremos subir o monte sacrificial, não queremos deitar a cabeça num travesseiro de pedra, mas é lá que está a provisão de Deus.
“Deus ordena que o homem abra mão daquilo que mais deseja"  Rabino Yossef Dov Soloveitchik.
Você consegue ver o Monte do sacrifício e reconhecê-lo?
Como Abraão sabia que tinham já chegado ao lugar do sacrifício de Isaque, uma vez que Deus não tinha se referido ao Monte Moriá pelo nome, mas simplesmente disse, “oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi”? Gênesis 22:2.
O Gênesis declara, מֵרָחֹק: הַמָּקוֹם אֶת וַיַּרְא - Va'ya'ar et hamakom mei'rachok, “e ele viu o lugar de longe”.
Como ele reconheceu é a mensagem para nós.
O Monte do sacrifício é um lugar que devemos reconhecer, mesmo de longe, para isto teremos que ter intimidade com Deus, para que ao ele requerer algo, possamos identificar, onde deveremos ir. Assim como Abraão estejamos aptos para seguir a nuvem de Deus.
“Abraão foi capaz de identificar o local do sacrifício, por meio da nuvem”
Há muitos que não estão em condições de reconhecer, mais, o lugar de sacrifício e adoração a Deus e por isto não conseguem atender as ordens divinas!
“Será, pois, que, quando houveres passado o Jordão, levantareis estas pedras, que hoje vos ordeno, no monte Ebal, e as caiarás. E ali edificarás um altar ao Senhor teu Deus, um altar de pedras; não alçarás instrumento de ferro sobre elas. De pedras brutas edificarás o altar do Senhor teu Deus; e sobre ele oferecerás holocaustos ao Senhor teu Deus. Também sacrificarás ofertas pacíficas, e ali comerás perante o Senhor teu Deus, e te alegrarás. E naquelas pedras escreverás todas as palavras desta lei, exprimindo-as nitidamente. ” Deuteronômio 27:4-8
Diferentemente dos deuses da idolatria os marcos colocados pelos patriarcas não continham figuras de seu Deus, pois “ninguém jamais viu a Deus...”, mas as palavras da Lei.
Altares idólatrasDeus ordenou que todos os outros altos fossem destruídos. O rei Josias destruiu-os em 2 Reis 22-23.
Lugares de adoração muitas vezes associados às práticas religiosas pagãs, à imoralidade e aos sacrifícios humanos. Depositavam-se objetos religiosos no alto da colina a fim de aplacar (acalmar) os deuses pagãos (“lançareis fora todos os habitantes da terra de diante de vós, e destruireis todas as suas pedras em que há figuras; também destruireis todas as suas imagens de fundição, e desfareis todos os seus altos.” Números. 33.52)
Abraão construiu um altar na região de Moriá e estava disposto a sacrificar o seu filho lá - Gênesis 22:1-2.
Os lugares altos eram visitados regularmente pelo profeta Samuel - 1 Samuel 7:16 e, como locais de adoração de ídolos cananeus - Juízes 3:19, estenderam-se ao período de Elias - 1 Reis 18:16-40.
Elias teve sua maior vitória durante dois sacrifícios, um aos deuses Baal e Asera e o outro que ele próprio executou ao Deus de israel. Era a maior necessidade de Israel nos dias de Acabe e do profeta Elias: Chuva!
Houve uma disputa, real e mística, sobrenatural e real ao mesmo tempo, na confiança que no monte do Sacrifício Deus proverá, a qual foi literalmente definida naquele sacrifício do Monte Carmelo, um dos pontos mais altos e centrais da Israel.
Ali podemos notar a relação entre sacrifício e o Monte. Ali se pode notar a diferença entre o Deus de Israel -YHWH - יְהֹוָה Yahweh (Javé) ou בַּ֫עַל baal.- e os deuses postes Baal e Asera. E quem é o verdadeiro deus da Provisão da vida de todos em Israel e que pode receber sacrifícios em sua presença manifesta, no Monte Do sacrifício.
“Agora, pois, manda reunir-se a mim todo o Israel no Monte Carmelo;... Dêem-se-nos, pois, dois bezerros, e eles escolham para si um dos bezerros... e eu prepararei o outro bezerro, e o porei sobre a lenha, e não lhe colocarei fogo. Então invocai o nome do vosso deus, e eu invocarei o nome do Senhor... o deus que responder por meio de fogo esse será Deus. ... e restaurou o altar do Senhor, que estava quebrado. E Elias tomou doze pedras, conforme ao número das tribos dos filhos de Jacó, ... e disse: Ó Senhor Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, manifeste-se hoje que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo...Então caiu fogo do Senhor, e consumiu o holocausto,  ... e disseram: Só o Senhor é Deus... Lançai mão dos profetas de Baal...e Elias os fez descer ao ribeiro de Quisom...” I Reis 18. 23,24;31-40
Havia diversos tipos de sacrifícios na época, dentre eles os sacrifícios de comunhão, que envolviam o sacrifício de louvor [do hebraico תּוֹדָה - todah]; o sacrifício espontâneo [do hebraico נְדָבָה - nedabah] e o sacrifício relacionado a um voto [do hebraico נֵ֫דֶר - neder].
A carne do animal era repartida entre Deus, o sacerdote e o ofertante, uma ordem da lei e do ofício sacerdotal, o que caracterizava esses tipos de sacrifícios.
Tipologia, neste sacrifício, é variada, entre elas a forma com que Elias ofereceu seu sacrifício, consertando ao altar, colocando 12 pedras, em nome de toda a Nação, e o consagrando de forma a tipificar um outro tipo de holocausto, o sacrifício expiatório pelo pecado [do hebraico חֲטָאָה - chataah] e pela reparação [do hebraico אָשָׁם - asham].
No sacrifício pelo pecado de uma pessoa, apenas uma ovelha já serviria para ser oferecida, porém era necessário um animal maior no caso de se tratar da reparação dos erros de uma nação inteira. Por isto, Elias utilizou um bezerro. Compilação de parte de estudo do sitio Rude cruz.
Historiando o Monte Carmelo
Monte Carmelo (em hebraico: Karem El = "vinha, plantação de terra do jardim, ou fruto de Deus"), estende-se por treze milhas de seu promontório, que se projeta para o Mar Mediterrâneo, na Baía de Acco. Do Monte Carmelo Jeremias teve a visão do domínio de Nabucodonosor sobre o Egito e Israel: "Certamente virá uma que paira acima como Tabor ou como o Carmelo junto ao mar" - Jeremias 46:18.
É uma faixa que se estende por cerca de trinta milhas em direção ao sudeste, a mais alta elevação tem 1742 pés, ou 531 m, descendo até ao leste planície de Taanaque. A faixa separa a planície de Sharon, a oeste do (Megiddo) Jezreel Valley no Leste. Junto a três corredores, em Jocneão, Megido e Tanac, próximo da Rodovia Internacional Costeira. Ali está a estátua do profeta ígneo,Elias, onde já estivemos visitando.
A vista do Monte Carmelo é panorâmica.
Pode ver-se a Serra de Nazaré para o nordeste, Monte Tabor e do outeiro de Moré para o leste e no sudeste, Gilboa Monte.
Abaixo Monte Carmelo encontra-se uma vasta planície fértil, a planície de Jezreel.
Moisés teve suas experiências com Deus no Monte. Mais precisamente no cume do Monte Sinai., alie ele conversava com Deus como seu amigo.
“E todo o monte Sinai fumegava, porque o Senhor descera sobre ele em fogo; e a sua fumaça subiu como fumaça de uma fornalha, e todo o monte tremia grandemente. E o sonido da buzina ia crescendo cada vez mais; Moisés falava, e Deus lhe respondia em voz alta. E, descendo o Senhor sobre o monte Sinai, sobre o cume do monte, chamou o Senhor a Moisés ao cume do monte; e Moisés subiu. E disse o Senhor a Moisés: Desce, adverte ao povo que não traspasse o termo para ver o Senhor, para que muitos deles não pereçam.” Êxodo 19:18-21
Deus nomeou apenas um lugar alto onde o sacrifício era autorizado, e esse foi o templo de Jerusalém - 2 Crônicas 3:1.
A Escatologia do Monte
“Mas nos últimos dias acontecerá que o monte da casa do SENHOR será estabelecido no cume dos montes, e se elevará sobre os outeiros, e a ele afluirão os povos. ” Miquéias 4:1
Mas, aí já é outro Estudo
Fonte:
MONTES DE ISRAEL – Geógrafo Oséias
Geografia bíblica E Geral - Monte Moriá
Apontamentos do autor
Estudos anteriores em estudandopalavra.blogspot.com.br
Bíblia Dake
The Akeida: Questions of Sacrifice , Syd Nestel – Reconstructionist Rabbinical College
Bíblia online

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical