sexta-feira, abril 18

DONS ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS EBD CPAD - 2º TRIMESTRE Atualização 00:56 hs

TEMA 2º Trimestre 2014
Continuando da 1ª Parte...
2ª Parte
DONS ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS
                                                         Autor deste subsídio-Estudo Pr Osvarela
Servindo a Deus e aos homens com poder extraordinário.
Continuo postando nesta segunda parte algumas informações que Deus nos concedeu.
São assuntos e dados coletados á luz da Palavra de Deus, com compilações, estudo e muita busca da verdade para compartilhar o melhor neste Trimestre, de muito Estudo e Poder.
“Dons são doações de Deus, fortalecem a Igreja e revestem o Crente”. Osvarela
Que neste trimestre possamos entender que temos alguém que nos capacitou e continua capacitando aos homens escolhidos para a seara do evangelho com poder extraordinário, Dons Espirituais que nos diferenciam para o Serviço Espiritual.
A Charis é a palavra chave desta Lição. Mas, a Diversidade e Utilidade são a irmãs no entendimento do uso dos Dons.
Inserimos nesta 2ª Parte algumas tabelas que criamos compilando resumos de informaçoes sobre Dons e Operações.
ETIMOLOGIA
δωρον doron - presente; n n. dom, presente; presentes oferecidos em expressão de honra; de sacrifícios e outros presentes oferecidos a Deus; oferta de um presente ou de presentes
δωρεα - dorea; n. f. dom, dádiva, presente;
δωρημα dorema; n n. dom, dádiva, benefício
προσμενω prosmeno; vb. permanecer com, continuar com; manter-se firme a: a graça de Deus recebida pelo Evangelho; ficar, esperar
κορβαν korban e κορβανας korbanas; de origem hebraica e aramaica;
קרבן; n m. dom oferecido (ou reservado para) a Deus;
προφητεια propheteia; “profecia”; n f. profecia; do dom e discurso dos professores cristãos chamados profetas; os dons e expressão destes profetas
χαριζομαι charizomai; vb. fazer algo confortável ou agradável (a alguém), fazer um favor a, agradar; mostrar-se generoso, bom, benevolente
- conceder perdão, perdoar
- dar graciosamente, dar livremente, entregar
- perdoar
- graciosamente restaurar alguém a outro
- cuidar de uma pessoa em perigo para alguém
πνευμα pneuma; n n. terceira pessoa da trindade, o Santo Espírito, co-igual, coeterno com o Pai e o Filho
- algumas vezes mencionado de um modo que enfatiza sua personalidade e caráter (o Santo Espírito)
- algumas vezes mencionado de um modo que enfatiza seu trabalho e poder (o Espírito da Verdade)
- nunca mencionado como um força despersonalizada
- um movimento de ar (um sopro suave)
- do vento; daí, o vento em si mesmo
- respiração pelo nariz ou pela boca
πνευματικος pneumatikos; adj. relacionado ao espírito humano, ou alma racional, como a parte do homem que é semelhante a Deus e serve como seu instrumento ou órgão;
que pertence ao espírito, ou um ser superior ao ser humano, contudo inferior a Deus
- que pertence ao Espírito Divino
- de Deus, o Espírito Santo
- alguém que está cheio e é governado pelo Espírito de Deus
- relativo ao vento ou à respiração; ventoso, exposto ao vento, que sopra
- adv. espiritualmente: i.e., pela ajuda do Santo Epírito
πνεω pneo; v. respirar, soprar; do vento
Dom
Analisando além do contexto de I Coríntios 12-14
A primeira análise vem da Epístola aos Romanos: - χαρίσματα – presentes
Rm 5. 15,16 – Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos.E não foi assim o dom como a ofensa, por um só que pecou. Porque o juízo veio de uma só ofensa, na verdade, para condenação, mas o dom gratuito veio de muitas ofensas para justificação.
Conceituando:
DOM – que gera a Vida contra a Morte contra o pecado edênico (de Adão) – dorema.
Jesus – O Dom de Deus – o único que tem pode para extinguir o salário do pecado sobre todos os homens – que é a Morte. Rm 6.23
Não é deste termo-conceito, a fonte, de onde procedem todos os outros Dons.
Entendo que os Dons da Graça, ou Charis se refere aos que se manifestaram, mesmo profetizados nas veterotestamentárias, pós-pentecostes e que Paulo tão bem pode escrever sobre eles.
Assim, como não se refere aos dons rudimentares que advém da salvação, o dom fundamental da libertação do império da Morte, em Jesus Cristo.
Discurso continuado:
“E deu Dons aos Homens” Efésios 4:8
Charisma - O apóstolo Paulo abundou naquilo que recebeu e ele mesmo escreveu e diz em: 2 Coríntios 8: 7 Como, porém, em tudo, manifestais superabundância, tanto na fé e na palavra como no saber, e em todo cuidado, e em nosso amor para convosco, assim também abundeis nesta graça. - τη χαριτι[têchariti] Dat. sing. ("nesta graça" - εν ταυτητη χαριτι [entautêtêchariti]).
Acerca dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes. 1 Co 12:1
DIVERSIDADE
Diairesis– variedade; uma destinação ou variedade: diferença.
Substantivo de diaireõ – dividir. Ato de dividir. Refere-se aqui, de forma única, a diferenças e classes de dons.
Diaireõ – separa, i.e. distribuir.
Uma das questões a ser considerada neste estudo.
1 Coríntios 12:4-6
Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo.
E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo.
E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.
- Dons
- Ministérios
- Operações
Continuando da 1ª Parte...
Será o Dom pertencente ao que o manifesta?
O dom nos é dado, ou nos é concedido?
É necessário termos o entendimento que no assunto ligado aos Dons aparecem certas duvidas, quando falamos ou registramos sobre Dons e atuações dos daqueles que receberam os Dons.
1 Pe 4. 10 Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.
Por varias vezes vemos certa arrogância do que sendo agraciados pelos dons mais eloquentes se mostram indiferentes aos demais membros do Corpo.
- por se posicionarem como Voz de Deus
- por se acharem como único Oráculo, ou porta-voz no seio da Igreja
O qual, quando chegou, e viu a graça de Deus, se alegrou, e exortou a todos a que permanecessem no Senhor, com propósito de coração At.11:23
“Identificamos um salvo não pela sua aparência, não pelo seu modo de servir a Deus, mas, sim, com o “olhar de Barnabé”, i.e., verificando se, no grupo social que encontramos, naquela igreja local com que nos deparamos, há a “graça de Deus” e o “propósito do coração para permanecer no Senhor”. Citação em A Igreja e a Comunhão “Koinonia” e outras fontes. Acessado em 17/04/2014.
- por não entender que a diversidade exclui monopólio.
- que todos os Dons são úteis por isto na diversidade se tornam ferramenta divina para edificação da Igreja.
- que Dom é Graça, não conquista.
Além disto, precisam entender que há, além destes ministérios especiais, há também o ministério geral de todos os crentes. Ef 4:11-13
Todo crente ao ser inserido pela conversão é dotado do Espírito Santo, na forma de particular habitação – templo – para a ação deste, na/e por sua vida dentro da Congregação dos santos.
Assim, uma vez que todo o Corpo de Cristo é dotado espiritualmente, deve exercitar o seu, ou os seus, dons, “para a obra do ministério” e da edificação do corpo, sem ter que necessariamente ser ordenado a um ministério/oficio especial (Rm. 12:4-8; Ef 4:16; I Pe. 4:10-11).
Os Dons descritos nas Escrituras.
Quadros:
Fonte: Bentho, E.C. Mensageiro da Paz -Março de 2008.
                              

Em Romanos:
Profecia, Ministério, Ensino, Exortação,Contribuição, Presidir, Misericórdia.
                             

Em Efésios:
Profeta, Evangelista, Pastor, Mestre

                            
Em ICoríntios: 
Palavra de Sabedoria, Palavra do Conhecimento, Fé, Curas, Milagres, Discernimento de Espíritos, Línguas, Interpretação de Línguas, Apóstolos, Socorros, Administração.
Eis o que O Apóstolo quer ensinar aos de Corinto.
O uso discricionário dos Dons de maneira ordenada observadas as utilidades imediatas e mediatas, pessoais e eclesiais da destinação da dação.
Todos os dons são uteis se observadas suas utilidades e a finalidade para que foram concedidos, como O Apóstolo Paulo, nos ensina nestes capítulos.
Ef 4. 11-13;16 E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, Do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor.
Além de mostrar-lhe, que algumas virtudes destacadas em certos Dons, mais visíveis do que em outros mais demonstráveis, como a Glossolalia, pode ser aparentemente uma demonstração de Poder e maior virtude do Espírito na vida daqueles que tem estes Dons e exercitam, no seio da Igreja.
1 Pedro 4. 10-11 Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus. Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém.
No entanto, não é assim, como nunca o foi, no contexto bíblico, a aparência não substitui o conteúdo do vaso.
Rm 12. 3-8 Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um. Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação, Assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros. De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; Se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; Ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria.
Entendendo que o uso do verbo – concedido – tenha o significado de concessão, ou seja, algo provisoriamente dado para ser utilizado a favor da igreja e da causa daquele que tem em seu poder eterno, os dons e os dá a quem quer, ou segundo a necessidade ele dá a quem quer, sob este ângulo, ou seja,a absoluta necessidade da dação para uso no seu serviço.
DONS ORDINÁRIOS/MINISTÉRIOS:
1.Pastores e mestres - Rm. 12:7; Ef. 4:11; I Tm. 3:1-7
2.Presbíteros (dom de dirigir e governo) - I Co 12:28; Rm. 12:8; I Tm. 5:17
3. Diáconos (dom de serviço, distribuição, misericórdia) - Rm. 12:7-8; I Tm. 3:8-13
DONS EXTRAORDINÁRIOS/MINISTÉRIOS (veja I Co 12:28-30; Ef 4:11)
1. Apóstolos
2. Profetas (palavra de sabedoria; de conhecimento - I Co 12:8)
3. Evangelistas
4. Discernimento de espíritos (I Cor. 12:10)
5.Línguas
6. Interpretação de línguas
7. Operadores de milagres; curas (“fé” inclusive (?) I Co 12:9); veja Order in the Offices, editado por Mark Brown
Três Leis ou Princípios.
-Dom
-Poder
-Senhorio
-Êxtase com razão
-Fortalecimento do homem.
Paulo insere três leis que ou princípios norteadores com estes versículos. 1 Coríntios 12:2,3
Eles servem como distinção para a ação do Espírito Santo. 
   1-     O Principio do controle consciente.
Diferente aos cultos pagãos, conhecidos pelos de Corinto, o poder, e mover do Espírito Santo não impele as pessoas a impetuosidade da compulsão em seus atos.
Pelo contrário, age de maneira serena na personalidade humana, ele dá Poder sem subjugar ao que o recebe.
   2-    O Princípio da Glorificação de Cristo
Cristo, nesta lei ou princípio é sempre glorificado. Nunca pode deixar de se-lo pois ele recebeu a Gloria do Pai, sob a obediência na cruz.
A manifestação do Espírito Santo se coaduna e se harmoniza com ete princípio, de tal maneira que a Glorificação é inerente a manifestação do Espírito Santo na vida do que recebe o Dom.
   3-    O Princípio da Fé em Cristo.
Este princípio manifesta a questão, sempre presente no Ministério escriturístico de Paulo, no qual Jesus Cristo é O Senhor de todas as coisas, na Obra da Salvação.
Assim, todos que recebem o Dom do Espírito Santo o recebem porque se submeteram ao Senhorio de Jesus em toda a sua maneira de viver.
Há Dons melhores?
Há Dons menores?
Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e eu vos mostrarei um caminho mais excelente. 1 Coríntios 12: 31
A discussão secular e notadamente em nossos dias, não diminuída, sobre a natureza e uso dos Dons relacionados em I Coríntios 12-14, Romanos 12 e Efésios 4 é longa difusa e encontra discípulos e defensores de variadas teses.
Alem, de novidades de
A ênfase do Apóstolo Paulo neste discurso envolve uma questão que ainda é tenuemente discutida entre os da Igreja.
Trata-se da graduação dos Dons Espirituais.
O texto abaixo nos dá uma mostra do que Paulo busca ensinar, utilizando um método de ensino, no qual as perguntas fazem os ouvintes/leitores buscarem as respostas, que obviamente só Paulo tem, pois se trata de uma Revelação doutrinária.
Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil. Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência; E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas. Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer. Têm todos o dom de curar? Falam todos diversas línguas? Interpretam todos? 1 Co 12:7-11;30
Uma das discussões sobre o uso dos Dons em Corinto, na Igreja que Paulo fundara era sobre:
- se o uso dos Dons torna o que o tem maior ou menor, ou melhor, entre os da Igreja em Corinto, pelo uso maior ou menor, pelo tipo ou manifestação do Dom.
Se o Dom da elocução que expõe o que fala línguas estranhas, sendo, portanto mais evidentes; pelo texto podemos ler que há até mesmo o mistério da variedade de línguas, não sendo o que recebe este dom apenas dotado de apenas uma forma unida de falar:
e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas”.1 Coríntios 12:10
Ou os Dons que se manifestam, de outras formas, ou mesmo pela elocução, como o de profetizar, mas sem o mistério das línguas;
pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; E a outro a operação de maravilhas”;
A aparente exposição e uso de certos Dons serviria e os colocaria, aparentemente, em destaque na Igreja.
Abro “aspas” para destacar:
O dom para ser aperfeiçoado conduz a algumas exigências, uma delas é o compromisso.
Principal compromisso: com Deus.
Compromissado com deus o exercício do Dom retira daquele que recebeu, algumas coisas da personalidade humanizada, próprias do ego.
Entre elas a vaidade.
Não ponha o seu dom acima de Cristo.
-Acima da Igreja.
-Acima da Liderança.
Dom e ética andam juntos!Osvarela
Se você tem Dom o Dom é de uso da coletividade e, a exceção do Dom de línguas, é para aperfeiçoamento e utilidade, segundo o Espírito Santo da Igreja, do Corpo De Cristo, portanto ela está acima do que tem dom.
Dom para ser aperfeiçoado no uso requer: exercitar.
Por cujo motivo te lembro que despertes o dom de Deus que existe em ti pela imposição das minhas mãos.Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação. Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro seu; antes participa das aflições do evangelho segundo o poder de Deus 2 Tm 1:6-8
Sempre digo que talento (habilidade natural) embora dado infere suro e esforço, por ser recebido da mesma forma, por charis, o dom requer por imaturidade, o exercício de sua aplicabilidade, e embora sendo espiritual necessita ser aperfeiçoado, pois requer não temer ter consciência de reconhecer o dom aquele que o tem. Pois, haverá a necessidade de não temer usar o seu dom.
Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém. 1 Pe 4:11

Quem usa o dom com certeza de seu Dom, poderá a cada dia, ser uma pessoa controlada pelo Espírito Santo, pois conhecerá o que o Espírito Santo realmente requer que se realize em cada instante.
Veja quadros abaixo:
                
Dons de Expressão
Também chamados “dons orais”.
DOM DE PROFECIA
DOM DE VARIEDADES DE LÍNGUAS
DOM DE INTERPRETAÇÃO DAS LÍNGUAS(Este seria o aconselhado por Paulo, a ser buscado)
Esta é uma formulação prática de Paulo ao tratar o assunto de forma didática e espiritual, explicitando para que, e o que se constitui o Dom para a Igreja.
Glossolalia (do grego γλώσσα, "glóssa" [língua]; λαλώ, "laló" [falar])
É destacável a impressão de Paulo para um assunto debatido, por muitos sobre as línguas, a glossolalia.
De sorte que as línguas são um sinal, não para os fiéis, mas para os infiéis; e a profecia não é sinal para os infiéis, mas para os fiéis.Se, pois, toda a igreja se congregar num lugar, e todos falarem em línguas, e entrarem indoutos ou infiéis, não dirão porventura que estais loucos?Mas, se todos profetizarem, e algum indouto ou infiel entrar, de todos é convencido, de todos é julgado.E, portanto, os segredos do seu coração ficam manifestos, e assim, lançando-se sobre o seu rosto, adorará a Deus, publicando que Deus está verdadeiramente entre vós.Que fareis pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação.E, se alguém falar em língua desconhecida, faça-se isso por dois, ou quando muito três, e por sua vez, e haja intérprete. 1 Co 14:21-27
Quando Paulo destaca esta revelação sobre estes dois Dons ele posiciona não a qualificação, mas a finalidade, utilidade e objetivo da charis.
-Ou seja, falar em línguas é necessário para revestimento dos crentes, e servem como sinal para os infiéis, os descrentes, como sinal da presença de algo divino e superior na reunião.
Mas, a profecia é algo que permite que:
-A igreja seja edificada, e não somente o que ora em línguas;
-Deus possa revelar, pela boca daquele que profetiza, desvendando os segredos do coração do infiel e este poderá, além de sentir que há algo diferente no lugar e na reunião, ver e ouvir revelados algo que só ele e Deus poderiam saber;
-Se não há profeta a língua pode ser falada, mas sob a orientação e com cuidado, e que haja a manifestação interpretativa do que Deus quer falar com a Igreja, para que ela seja edificada;
A palavra grega para “diversidade”, em o Novo Testamento, é “diairésis” (διαίρεσις), cujo significado é o mesmo, ou seja, “variedade” no sentido de “distribuição, divisão, separação”.
A sabedoria de Deus é “multiforme” (Ef.3:20), assim como é “multiforme” a Sua graça (I Pe.4:10), de modo que não podemos, de forma alguma, exigir que todos os salvos tenham a nossa mesma “forma”, o nosso mesmo “jeito”.
At.11:23 O qual, quando chegou, e viu a graça de Deus, se alegrou, e exortou a todos a que permanecessem no Senhor, com propósito de coração;
Identificamos um salvo não pela sua aparência, não pelo seu modo de servir a Deus, mas, sim, com o “olhar de Barnabé”, i.e., verificando se, no grupo social que encontramos, naquela igreja local com que nos deparamos, há a “graça de Deus” e o “propósito do coração para permanecer no Senhor”
Dentro do conceito, pelo qual, os Dons são concedidos em uma amplitude de atividade a diairesis, (a diversidade) seja na operação, na sabedoria, ou nos Dons, como um bem  comum eclesial, visando um fim que seja proveitoso para a Obra de Deus.
Que ressalto, só pode ser realizada neste Tempo da Graça, através da Operação do Espírito Santo:
Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.Jo 14:26
Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito de verdade, que procede do Pai, ele testificará de mim. E vós também testificareis, pois estivestes comigo desde o princípio. Jo 15:26-27
Todavia digo-vos a verdade...se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei. E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. Do pecado, porque não crêem em mim; Da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais;E do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado... Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Jo 16:7-13
Assim, ainda que se falem línguas, estas são um Dom “menor”, não são e nem deve ser vistas como a suprema charis operativa ou funcional no seio da Igreja.
É sob esta ótica que Paulo adentra nos mistérios dos Dons e das qualificações das coisas aparentes, mas necessárias que tornam a Unidade, com diversidade e multiforma, através do Espírito que é Único, mas coexistente em Deus Pai, e no Filho para nos dar o entendimento que há graduação dos Dons, pela operação de cada um no Corpo da Igreja.
Primeiro:
As línguas só nutrem os que falam;
As línguas não educam o Corpo;
As línguas sozinhas não sustentam a Igreja, para que seja um Dom útil, como o são, e por isto foram dadas (aqui falo como Paulo fala do entendimento dos de Corinto, aos quais Paulo exortava), pois necessitam de que haja interpretação para que sejam anunciados os mistérios de Cristo de forma inteligíveis –
1 Co 14.2-6 Porque o que fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios.Mas o que profetiza fala aos homens, para edificação, exortação e consolação.
As profecias nutrem todo o Corpo;
O que fala em língua desconhecida edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja. ... porque o que profetiza é maior do que o que fala em línguas, a não ser que também interprete para que a igreja receba edificação. E agora, irmãos, se eu for ter convosco falando em línguas, que vos aproveitaria, se não vos falasse ou por meio da revelação, ou da ciência, ou da profecia, ou da doutrina?
O Apóstolo Paulo através de sua doutrinação insere e planifica o assunto na ação direta da tríplice ação.
1 Co 12:4-6 Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.
Paulo agora insere o assunto na multiforma visão da utilidade dos Dons em atividade:
Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular. E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro doutores, depois milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas.Porventura são todos apóstolos? São todos profetas? São todos doutores? São todos operadores de milagres?Têm todos o dom de curar? falam todos diversas línguas? Interpretam todos? 1 Co 12:27-30
1º - Dons
2º - Ministérios
3º- Operações
Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e eu vos mostrarei um caminho mais excelente”. 1 Co 12:31
Classificação dos Dons
SEÇÃO I
QUADROS E TABELAS – Esclareceremos em uma 3ª Etapa; 
Relacione: Leitura E Quadros.

1.       1.      Dons Ministeriais
APÓSTOLOS
PROFETAS
EVANGELISTAS
PASTORES
MESTRES
1.       2.      Dons Auxiliares
GOVERNOS
EXORTAÇÃO
REPARTIR
PRESIDIR
EXERCITAR MISERICÓRDIA SOCORROS
1.       3.      Dons Espirituais
DOM DE SABEDORIA
DOM DA CIÊNCIA
         DOM DA FÉ
         DONS DE CURAR
         DOM DE OPERAÇÃO DE MARAVILHAS
         DOM DE PROFECIA
         DOM DE DISCERNIR OS ESPÍRITOS
         DOM DE LÍNGUAS
         DOM DE INTERPRETAÇÃO DE LÍNGUAS
Agrupamento de acordo com: Deus o Espírito Santo E  A Existência e a Pessoa do Espírito Santo…/Severino Pedro da Silva, 1ª ed. – Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 1996.
De acordo com o ensino geral da Bíblia, os dons podem ser classificados em três grupos distintos:
Pela ordem de citação, os dons espirituais estão assim relacionados:
DOM DA PALAVRA DA SABEDORIA
DOM DA PALAVRA DA CIÊNCIA
DOM DA FÉ
DONS DE CURAR
DOM DE OPERAÇÃO DE MARAVILHAS
DOM DE PROFECIA
DOM DE DISCERNIR OS ESPÍRITOS
DOM DE VARIEDADES DE LÍNGUAS
DOM DE INTERPRETAÇÃO DAS LÍNGUAS
Estes dons são classificados de acordo com a sua natureza.
1.       1.      Dons de Saber
Também chamados “dons de revelação”.
DOM DA PALAVRA DA SABEDORIA
DOM DA PALAVRA DA CIÊNCIA
DOM DE DISCERNIR OS ESPÍRITOS
1.       2.      Dons de Poder
Também chamados “dons de operação sobrenatural”.
DOM DA FÉ
DONS DE CURAR
DOM DE OPERAÇÃO DE MARAVILHAS
3. Dons de Expressão
Também chamados “dons orais”.
DOM DE PROFECIA
DOM DE VARIEDADES DE LÍNGUAS
DOM DE INTERPRETAÇÃO DAS LÍNGUAS
REAGRUPANDO.
Realizei este reagrupamento sem perder a noção doutrinária usual, reconhecida entre nós, pentecostais.
GRUPO DE SERVIÇOS
Administração: Capacidade de guiar, dirigir, liderar e cuidar da igreja.
Doação: Capacidade de fazer contribuições excepcionais de seus próprios recursos materiais para outros crentes.
Hospitalidade: Capacidade de receber os viajantes que necessitam de alimento e abrigo Serviço: Capacidade de identificar as necessidades de outros e ajudá-los a enfrentá-las.
Misericórdia: Capacidade de oferecer consolo e bondade aos aflitos.
GRUPO DE MINISTROS
Apostolado: Capacidade de servir como missionário e outro representante especial de Deus.
Pastor/Mestre: Capacidade de liderar, proteger, guiar, ensinar e cuidar dos membros do corpo de Cristo.
Ensinar: Capacidade de entender as implicações da revelação de Deus para a vida diária, e de guiar outros para que entendam e vivam a verdade de Deus.
Exortação: Capacidade de encorajar, consolar e admoestar outros de maneira construtiva.
SUB-GRUPO DE MINISTÉRIO
Evangelização: Capacidade excepcional de conquistar outros para o Senhor.
PODER E AÇÃO
Fé: Capacidade de acreditar no poder que Deus tem para atender necessidades especiais.
Milagres e Curas: Capacidade de Liderar, proteger, guiar, ensinar e cuidar dos membros do corpo de Cristo.
PODER E ELOCUÇÃO
Profecia: Capacidade de entender e comunicar uma mensagem imediata de Deus ao seu povo.
Discernimento: Capacidade de distinguir verdadeiras de falsas fontes da revelação.
Interpretação de línguas: Capacidade de entender e explicar as palavras de alguém que fala outras línguas.
Línguas: Capacidade de falar em linguagem desconhecida (espiritual).
Alguns desses dons são citados em outros textos rela­cionados ao mesmo assunto:
BIBLIOGRAFIA
Strong – Dicionário
Apontamentos do autor
Bíblia Palavras Chaves - CPAD – 2012
Bíblia Plenitude – SBB
Novo Testamento Interlinear - Grego/Portugues – SBB
Comentário Histórico-Cultural - CPAD – Lawrenc O Richards –
New Testament Life & Times  
Bíblia Plenitude
Bíblia Dake – CPAD
A Manifestação Do Espírito – CARSON, D.A.
Dicionário Bíblico
Concordância Analítica do Grego do Novo Testamento
Daniel Alejandro Flores
-missaobrasilestudos.no.comunidades.net
COMUNHÃO DOS SANTOS - A MISSÃO CONCILIADORA DA IGREJA.
-seminarioteologia.wordpress.com

Pastoreados por Paulo – Azevedo, Israel Belo de- Hagnos- SP -  2011
Continua na 3ª Parte...

Nenhum comentário:

Seguidores

Ocorreu um erro neste gadget

Geografia Bíblica-Texto-Local!

Para quem estuda a Arqueologia - Mapas do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
Viaje à Terra Santa pelo seu PC, ou qualquer lugar citado na Bíblia! Com ela você pode através do texto que está lendo ter acesso ao local onde ocorreu o fato bíblico! Forma gratuita, é só clicar e acessar:

Ser Solidário

Seja solidário
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu. Como não sou judeu, não me incomodei. No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei . No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico. Como não sou católico, não me incomodei. No quarto dia, vieram e me levaram; já não havia mais ninguém para reclamar..."
Martin Niemöller, 1933

Doutrina


O Credo da Assembléia de Deus
A declaração de fé da Igreja Evangélica Assembléia de Deus não se fundamenta na teologia liberal, mas no conservadorismo protestante que afirma entre outras verdades principais, a crença em:
1)Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29).
Pacto de Lausanne – Suíça
Teses de Martinho Lutero
95 Teses de Lutero
Clique e acesse todo texto.

Ensino Dominical